Arquivo de 'Tropic of C'



Candice Swanepoel é a capa da edição anual de Julho da The Daily Summer
01.07.2020

Esse ano a The Daily Front Row, site e revista sobre a industria do entretenimento e da moda, voltou com sua edição especial de 4 de Julho (data especial nos Estados Unidos, já que é o dia da independência do país), a The Daily Summer. E ninguém menos do que Candice, foi a escolhida para estampar a capa da edição de 2020.

Em ensaio reutilizado da primeira coleção da Tropic of C, marca de trajes de banho da modelo, Candice concedeu uma entrevista onde fala sobre os detalhes da sua marca e como vem passado a quarentena. Você confere a entrevista traduzida abaixo:

Candice Swanepoel passou boa parte de sua carreira vestindo trajes de banho, por isso é justo que, eventualmente, ela se vista, com seu corpo inncrível, e comece sua própria linha. A supermodelo de 31 anos se tornou uma empreendedora instantânea quando lançou a Tropic of C, uma linha de roupas de banho ecologicamente responsável da qual as mulheres não se cansam. Aqui, ela conta ao THE DAILY tudo sobre esse empreendimento de sucesso e o que a levou a parar e cheirar as rosas.

Como você passou os últimos meses em quarentena?

Eu tenho passado muito tempo na natureza, lá fora com meus filhos. Tem sido uma bênção não ter que viajar como eu normalmente faço.

O que você aprendeu sobre você mesmo?

Eu me concentrei muito em mim e em meus filhos e fiz uma pausa das redes sociais. Eu tenho pensado nas coisas que são mais importantes para mim. E as coisas que não são necessárias. A quarentena foi um tempo de descanso e reflexão.

Do que você sente falta em trabalhar?

Sinto falta de viajar para novos lugares e das equipes de pessoas incríveis com que trabalho.

Sua marca de trajes de banho, Tropic of C, é a favorita do The Daily. Como isso evoluiu ao longo dos anos e como você o descreve para novos clientes?

A marca continua evoluindo e é muito gratificante ver que todos os dias alcançamos mais mulheres em todos os cantos do mundo. Temos uma presença sólida em roupas de banho e nos conectamos com os clientes através de alguns de nossos campeões de vendas, como a coleção Mama Africa ou a coleção C, ao mesmo tempo em que introduzimos novos estilos de moda e diversificamos nossas ofertas. Por exemplo, nesta temporada, colaboramos com um grupo de artesãs do Peru e fizemos lindas blusas de malha feitas à mão. Também apresentamos nossa primeira coleção de peças de tricô em listras e camisetas de algodão orgânico que podem ser usadas na praia e além. Tropic of C é uma marca para consumidores conscientes; Eu queria que nosso cliente usasse as peças porque elas amam a aparência, mas também o que defendemos.

A marca é ecologicamente responsável, o que é difícil na categoria de moda praia. Conte-nos como você está conseguindo isso.

Desde o início, quando eu criava a marca, eu realmente queria criar uma marca que estivesse consciente de seu impacto no planeta e usar novas inovações para criar produtos que visam continuamente reduzir o impacto ambiental de nossa produção através do desenvolvimento e refino de tecidos sustentáveis ​​e contínuos. nossos processos de fabricação. Focamos em duas áreas – nossos tecidos e nossas embalagens. A maioria dos nossos tecidos usava nylon reciclado ou regenerado. Isso significa que trazemos muito pouco nylon virgem, fechando o ciclo participando de uma economia circular. Além disso, nossas impressões são feitas digitalmente, reduzindo drasticamente o uso de água e eletricidade, mas também o desperdício. No caso de nossas embalagens, estamos orgulhosos de sacolas serem feitas de bioplásticos biodegradáveis ​​e compostáveis. Nossas etiquetas principais também usam poliéster reciclado, e nossas etiquetas para pendurar são feitas de bambu, enquanto nossos envelopes usam papel de pedra. Dedicamos muito tempo a esses detalhes e pagamos um valor alto, mas sabemos que nossos clientes se importam e cumprem a promessa que fizemos em nossa missão como marca e equipe.

De onde vem sua paixão pelo meio ambiente?

Eu cresci em uma fazenda na África do Sul, onde estava sempre brincando fora de casa com meu irmão. Apreciação pela natureza é algo que me foi incutido desde jovem, e continuo tendo uma grande paixão e apreço pelo meio ambiente.

Quais foram alguns dos seus best-sellers ao longo dos anos?

Alguns de nossos campeões de vendas são nossas silhuetas mais clássicas e simples e nossas favoritas desde o início. A coleção C é muito identificável, porque usamos cordas mais finas e nossa costura é bastante difícil de executar. Queríamos criar esses estilos com costuras mínimas para serem muito delicados e femininos. O South Pacific – tanto em preto quanto em leopardo – ressoa com clientes em todo o mundo; tem um visual retro de espartilho que é lisonjeiro, tornando-o um clássico instantâneo. Nossa estampa Mama Africa se transformou em uma coleção de vários estilos. Esta estampa clássica de leopardo é bastante icônica e continua a ser a favorita. Estamos aumentando ainda mais o Resort.

Onde você está vendendo a linha?

Nós vendemos por meio de nosso próprio comércio eletrônico, tropicofc.com, onde temos a coleção completa. Temos parceria com um incrível conjunto de varejistas multimarcas em todo o mundo – Selfridges no Reino Unido, Moda Operandi, My Theresa e Luisa Via Roma como varejistas de luxo online, e Holt Renfrew no Canadá como parte de sua apresentação sustentável do projeto Holt. Lançamos recentemente na Bandier e abriremos um pop-up na Fred Segal em Los Angeles por dois meses para oferecer aos nossos clientes a chance de comprar a coleção pessoalmente.

Qual é a sua parte favorita de trabalhar na linha?

Os fittings são definitivamente a minha parte favorita e quando toda a minha contribuição criativa ganha vida. Transformamos estilos e criamos novas maneiras de finalizar, adicionar detalhes e garantir que minhas idéias sejam executadas. Isso também desencadeia minhas fantasias sobre como fotografar os modelos, em que local e com quem.

Você também modela seus próprios designs. Existe algo diferente em modelar suas próprias criações?

Sim, eu não sou apenas a modelo, mas também a diretora de arte em nossas sessões de fotos, então aplico tudo o que aprendi trabalhando com tantos fotógrafos, estilistas e criativos incríveis. Meu trabalho na frente da câmera é apenas uma peça. Estou muito envolvida no planejamento das sessões de fotos e campanhas, criando quadros de humor, contratando outras modelos, editando as imagens e como apresentamos e lançamos as coleções em nossos canais.

Algum plano divertido para este verão?

Dependendo da situação, espero poder passar algum tempo na praia com meus filhos.

A quarentena foi uma época de auto-aperfeiçoamento para muitas pessoas. O que você conquistou durante a experiência?

Eu tive alguns estágios diferentes durante esta quarentena. No começo, eu estava cozinhando como uma maníaca e me impressionei com meus talentos na cozinha, depois comecei a jardinar e a passar mais tempo lá fora. Agora estou em um período de organização, percorrendo minha casa e jogando fora coisas que não preciso e limpando meu espaço para que novas energias fluam. Eu sou um pouco minimalista e penso em meus objetivos para o futuro. Definitivamente, eu precisava de uma pausa do ritmo acelerado do mundo e aproveitei esse momento para parar e cheirar as rosas.

Fonte | Tradução e Adaptação: Candice Swanepoel Brasil

ENTREVISTAS: Candice fala com a Holt Renfrew sobre seu processo criativo na Tropic of C
11.05.2020

Fazendo parte da sua série, intitulada Sustainable Sunday, de conteúdos especiais aos fins de semana, a Holt Renfrew, loja de departamento de luxo no Canadá, compartilhou em seu Instagram uma nova entrevista com a Candice. Nela, a modelo fala sobre seu processo criativo na Tropic of C, sua marca de trajes de banho, e como está lidando com o trabalho durante o período de quarentena. Confira traduzido abaixo:

Nos conte sobre o seu processo de design.

Realmente depende do que está me inspirando naquele momento, seja um local, cor, cultura, novos tecidos ou apenas meu humor. Eu sou inspirada por silhuetas vintages e amo colocar um toque moderno nelas.

Porque você decidiu usar materiais sustentáveis em seus trajes de banho?

Eu sempre respeitei a natureza e senti a mudança que precisava acontecer a muito tempo atrás. Trajes de banho não é, em geral, uma categoria sustentável, mas eu descobri muitas empresas incríveis fazendo tecidos sustentáveis e guarnições. É sobre ser consciente sobre o que você está colocando no mundo e consumindo também. Todos nós temos a responsabilidade.

Como você equilibra ser uma designer, modelo e mãe?

É tudo sobre gerenciamento do tempo. Minhas crianças vem primeiro, e com a Tropic of C nós somos um grupo de mães trabalhadoras, então todas nós nos afastamos quando necessário. Criatividade é como uma terapia para mim, então tem sido importante em me ajudar a me sentir balanceada.

Como você tem continuado sendo responsável socialmente enquanto mantém o distanciamento social?

O mesmo de sempre – reciclando, usando sacolas de tecido no mercado, sendo consciente sobre o desperdiço de água e comida.

Quando se trata de produtos sustentáveis, você tem algum favorito atual?

Almofadas de algodão reutilizáveis. Eu também amo fazer produtos de beleza caseiros.

Quais desafios você encarou enquanto trabalha de casa?

Se manter focada enquanto tento entreter duas crianças tem sido um desafio.

Fonte | Tradução e adaptação: Candice Swanepoel Brasil

Tropic of C lança coleção capsula em parceria com Sophie Anderson
16.04.2020

Em março é comemorado o Dia Internacional da Mulher – data para se lembrar, entre muitas coisas, da luta das mulheres em busca da sua independência. Pensando nisso a Tropic of C, marca de trajes de banho fundada pela Candice, decidiu usar essa data especial para anunciar o lançamento de uma coleção capsula com a marca Sophie Anderson, que produz lindas peças sustentáveis a base de crochê. Leia abaixo a matéria sobre a coleção:

Neste Dia Internacional da Mulher, estamos felizes em anunciar nossa colaboração com a marca de roupas de banho e estilo de vida ecológica dos EUA, nascida também de uma vida passada na praia, Tropic of C!

Co-fundada por Candice Swanepoel, conhecida por seu sucesso na passarela como Angel da Victoria Secret’s, esta marca compartilha nossos valores fundamentais de sustentabilidade, qualidade, apoio à comunidade e empoderamento das mulheres.

Juntamente com a Tropic of C, nós projetamos e produzimos uma cápsula de tops, os dois primeiros modelos a serem lançados na próxima semana! Com novos estilos sendo lançados ao longo do ano (mantenha os olhos abertos)!

Nossos dois primeiros tops de biquínis é o modelo “South Pacific” ultra feminino e sexy, levemente fora do ombro, em um tropical ‘Kelly Green‘ e ‘Listras Rasta‘, uma homenagem a um dos destinos de férias favoritos de Candice.

Cada peça é tricotada por uma única agulha de crochê e é inteiramente feita à mão. Como em todos os nossos produtos, trabalhamos diretamente com uma empresa social que fornece treinamento e infraestrutura contínuos, promovendo o empreendedorismo e a independência nas comunidades rurais de artesãos.

Uma celebração perfeita para as mulheres no dia internacional da mulher! Essas peças não apenas celebram e preservam seu artesanato tradicional, mas ajudam a apoiar o impacto social sustentável em suas comunidades.

Fonte | Tradução e Adaptação: Candice Swanepoel Brasil

A coleção até o momento possui três peças que já estão disponíveis para compra no site da Tropic of C! Confira as fotos da colaboração abaixo:

Fotos: Eduardo Bravin | Styling: Candice Swanepoel
TROPIC OF C: Coleção de Spring 2020 é lançada!
07.02.2020

Iniciando o ano da marca com o pé direito, a Tropic of C lançou no final de janeiro a sexta coleção: Spring 2020. E continuando na mesma vibe da coleção passada, onde Candice – criadora da marca – homenageou seu país natal, a África do Sul, nessa nova temporada a modelo celebra a Jamaica.

Intitulada I&I, a nova coleção, até o momento, não trouxe novas peças, mas sim novas estampas aos clássicos da marca, como o maiô The C e o top Vibe. A paleta de cores da temporada segue a conhecida paleta que representa o país: verde, amarelo, vermelho e preto.

Uma grande novidade porém, é que para o Spring 2020 a marca decidiu expandir seus horizontes e lançou algumas peças de roupas! Com a mesma qualidade dos trajes de banho, a marca lançou quatro modelos de blusas (no formato cropped) de malha e uma camiseta. Uma saia e um vestido também foram lançados.

A campanha foi, claro, fotografada na Jamaica e vem com uma vibe divertida e colorida. Dessa vez, Candice posa ao lado de sua amiga, a DJ brasileira Monique! Os cliques ficam por conta de Eduardo Bravin, também seu amigo.

Confira, clicando nas miniaturas abaixo, as fotos da campanha:

ENTREVISTAS: Candice fala sobre os talentos da África do Sul e a Tropic of C para a Vogue Alemanha
14.01.2020

A Berlin Fashion Week começou ontem, 13, e já atraiu olhares ao redor do mundo inteiro devido a sua mais nova atração na passarela: o Fashion Talents from South Africa – desfile que reuniu alguns designer da África do Sul em um show em grupo. Candice atendeu a semana e compareceu ao evento, e durante o mesmo concedeu uma entrevista para a Vogue Alemanha onde fala sobre os talentos de seu país natal e sua marca de trajes de banho, a Tropic of C. Confira traduzida abaixo:

A Sul Africana Candice Swanepoel é uma das modelos mais famosas do mundo. Ela viajou para a abertura da Berlin Fashion Week de Janeiro 2020 para apoiar as quatro marcas sul africanas (Clive Rundle, Floyd Avenue, Rich Mnisi e Viviers) que fizeram parte do “Mercedes-Benz Fashion Talents from South Africa” como parte do programa internacional de desenvolvimento da juventude.

A Mercedes-Benz apresentou designer da África do Sul pela primeira vez. Você mesma cresceu lá. Como você entrou em contato com esse mundo?

Eu cresci em uma fazendo com meu irmão, eu usava macacão o tempo todo e brincava na natureza. Quando eu tinha 13 anos eu descobri a Fashion TV, eu assistia todos os desfiles e era fascinada por esse mundo, mas nunca imaginei fazer parte dele porque eu não sabia como. Quando eu tinha 15 anos fui descoberta por um olheiro. Eu lembro de estar sentada na cozinha e nós estávamos sendo aconselhadas a dar uma chance. Fui surreal quando, depois de eu começar a modelar, eu voltei para casa e vi eu mesma na Fashion TV.

Você tinha talentos do mundo da moda da sua casa [África do Sul] na televisão naquela época?

O mundo não estava nem de longe tão conectado quanto hoje. Pouco se via sobre o que acontecia em um país que não possuía uma grande metrópole da moda. O fato de eu ter sido descoberta na África do Sul também foi um milagre. No meio tempo, isso mudou e você entende o quão importante é oferecer aos novos talentos uma plataforma. Porque é isso que importa: muitas pessoas que fazem coisas maravilhosas simplesmente nunca entram em foco porque não têm chance. Por outro lado, existem pessoas como eu que vêm do nada e de repente um novo caminho se abre para elas. Este grupo deve crescer. Além disso, a indústria da moda está saturada. De onde viria a nova inspiração, se não de países ou grupos que até agora foram negligenciados? Existe muito potencial no continente africano que não se esgota há muito tempo e um grande entusiasmo pela moda. Estive recentemente em Ruanda e as pessoas que vi lá estavam mais preocupadas com a aparência do que na cidade de Nova York.

Tem alguma coisa que une os talentos de seu país natal? Esteticamente, mas também idealmente?

Talvez pareça clichê, mas quando você cresce na África do Sul, recebe uma apreciação especial pela natureza, um respeito especial. Nesse sentido, os designers da África do Sul sempre fizeram exatamente o que todo mundo está falando agora: tendo consciência de como fazemos com o nosso meio ambiente e com nossos parceiros seres humanos.

Você faz isso você mesma como designer? Em 2018 você começou a Tropic of C, uma linha de trajes de banho que agora se tornou muito bem sucedida.

Meus próprios designs são fortemente influenciados por minha casa, pelos materiais e cores com que cresci. A produção é sustentável e sempre que havia uma chance de que minha marca pudesse retribuir algo às comunidades, eu queria usá-la, mas sem me restringir à África do Sul. Por exemplo, há mulheres em pequenas empresas de artesanato na Colômbia que produzem sacolas para mim. Acho que chegou a hora para marcas pequenas e transparentes como a minha ou os quatro estilistas que vimos na Berlin Fashion Week hoje. As pessoas estão mais conscientes de como querem consumir. Todos nós tivemos tantos anos de lavagem cerebral que fomos bombardeados com apelos para comprar isto ou aquilo. Agora, muitas pessoas querem sentir uma conexão com o que têm novamente.

Como aconteceu que você fundou sua própria marca de trajes de banho e entrou em uma área em que já havia trabalhado como modelo?

Quando comecei minha marca, senti que não conseguia encontrar roupas de banho em nenhum lugar que correspondesse às minhas idéias. Comprei muito no Brasil porque os cortes eram muito bons, mas não gostei muito dos materiais e cores. Eu estava trabalhando para a Victoria’s Secret na época e quando eles interromperam sua linha de roupas de banho, comecei a minha. Isso não entrou em conflito com a minha carreira de moda, mas a complementou. Tudo veio naturalmente porque minha mãe era uma professora de aeróbica que costumava fazer suas roupas sozinha. Então eu peguei isso dela. Eu também cresci perto do mar e sempre fui obcecada pela vida na praia. Quando eu fundei a marca, eu estava grávida, então tirei algo de todo o circo da moda e tive tempo para pensar em tudo e formar uma equipe.

E como foi deixar de representar apenas outras marcas, mas representar a sua?

Ser criativa foi um alívio para mim. Eu me dediquei a esse negócio e peguei tudo em minhas próprias mãos, desde os designs até as campanhas. Eu queria mostrar o que acho bonito – depois de apresentar o que os outros acharam bonito por tanto tempo. Esta marca é o meu terceiro bebê.

Fonte | Tradução e Adaptação: Candice Swanepoel Brasil.